No brinque em servio! Saiba quais comentrios so proibidos no trabalho.
18/02/2013
Brincadeirinhas inadequadas podem constranger os colegas e acabar com sua reputao.

 


Conforme o tempo vai passando, mais confortável vai ficando o relacionamento com os colegas de trabalho e a chefia e, às vezes, até com os clientes. Num mundo tão casual quanto o que vivemos, seria impossível que isso não acontecesse, mesmo com nossos laços profissionais. O lado bom é que conseguimos nos sentir mais acolhidos e também mais à vontade, mais em casa. O lado ruim é que nos esquecemos de que essa não é nossa casa, e esses não são nossos familiares – aqueles que aguentam e perdoam praticamente tudo que fazemos, até aquelas brincadeiras, declarações e perguntas mais desagradáveis.

 

 

Se você é um brincalhão, esta coluna é para você. Se acha que pode falar o que quer para quem quiser, é para você também! Neste mundo de relações mais leves e informais, a coisa pode pesar quando você ultrapassa os limites do outro, constrangendo-o ou até magoando-o. Você deve estar perguntando “mas como saber o que é uma brincadeira desagradável?!” O que torna uma brincadeira, comentário ou pergunta inadequados? Tema, tom e a percepção do outro sobre o que ele ouviu de você podem ser ótimos aliados na busca pela resposta do que é conveniente ou não.

 

 

Estar atento à reação do outro ao seu tratamento é crucial para que um relacionamento seja bem sucedido – inclusive o profissional. Gentileza gera gentileza, empatia gera empatia. Você pode até seguir em frente com suas brincadeiras e perguntas ácidas, acreditando que, se você não se importaria se brincassem com você assim, o outro também não irá se importar. Mas a verdade é que não é assim na maioria dos casos. Mesmo que seu colega leve tudo na esportiva e nunca tenha reclamado, observe as reações dele.

 

 

O tom de ironia, deboche ou desdém em alguns comentários ou perguntas também pode ser o motivo para que suas palavras sejam ouvidas de forma negativa. E assim você vai se tornando - aos seus olhos - aquele colega de trabalho que se acha popular porque tem liberdade (dada por si mesmo) com todos. Aos olhos dos colegas, você é o chato – desculpe, mas é verdade, e a palavra é essa mesma. Mas pode se chamar de inconveniente, se achar mais elegante!

 

 

Para encerrar a coluna, uma listinha com temas que em geral você deve evitar nas suas brincadeiras, perguntas e comentários. E não, a intenção não é deixar seu ambiente de trabalho mais chato. É não deixar que você seja “o chato”. Fique longe de coisas do tipo:

 

 

- “Nossa, as férias foram boas, hein?! Dá pra ver pelo peso extra que você trouxe na mala!” falar de peso nunca é uma boa ideia – ainda mais se for com uma mulher.

 


- “Quem foi que fez isso com o seu cabelo?! Me fala que eu vou lá dar uma bronca na pessoa!”. O novo visual do(a) colega pode estar terrível e até prejudica-lo profissionalmente, mas isso deve ser dito em particular e com muito tato.

 

 
- “E aí magnata, foi promovido... e o salário, é bom?!” Mesmo que você não pergunte diretamente quanto ele ganha, o efeito é tão negativo quanto.

 

 

- “Lá vem o queridinho do chefe!” Você pode até achar que ele é um bajulador, mas ele pode simplesmente ser um dos melhores profissionais da equipe e por isso mesmo ser alguém em que o seu superior confia mais.

 

 

- “Olha a gatona do financeiro, tá uma lindeza esse decote, hein?!”. Todo bem que a gatona está errada de estar com o decotão, mas a sua quase cantada está errada também!

 

 

- Religião, política, preferências sexuais e preconceitos devem ficar de fora também! “Coisa de mulher”, “tinha que ser homem”, “olha lá seu candidato acabando com a cidade”, entre outras coisas, não divertem ou doutrinam. Apenas desagradam e prejudicam sua reputação e capacidade de fazer alianças.

 

 

Leve suas brincadeiras a sério!

 

 

Feliz 2013! Um abraço e até a próxima!

 

 

 

 

Fonte: ClickCarreira